menu play audio video alerta alerta-t amigo bola correio duvida erro facebook whatsapp informacao instagram mais menos sucesso avancar voltar download gmais twitter direita esquerda acima abaixo item xis

Curso aberto - Lian Gong Anterior

Lian Gong Anterior

Uma fisioterapia que você pode fazer em si mesmo. São movimentos amplos, naturais e contínuos, que atuam nos seus músculos, tendões e ossos. A forma de praticar promove, ao mesmo tempo, circulação de energia vital (Qi) pelos seus órgãos.

Jaime Kuk

Atualmente o Lian Gong é uma das terapias mais oferecidas pelo nosso Sistema de Saúde, como Prática Integrativa e Complementar aos cuidados médicos (PICS). Há muitas pesquisas sobre os seus benefícios, entre as quais destacamos a promovida pela UFMG. (saiba mais sobre esta pesquisa neste site, em Para Praticantes). 

Com movimentos amplos, naturais e contínuos você restaura partes do seu corpo, que não estavam sendo movimentadas adequadamente. É uma prática para todas as idades e pode ser feita em qualquer lugar, pois não requer aparelhos ou locais para se deitar.

Seguindo os 11 Princípios (abaixo), que ensina aspectos dos movimentos envolvendo respiração e estado de espírito, você atua na circulação energética, como pretende os Qi Gong. Conhecendo melhor as práticas, você vai se familiarizar com o conceito de “QI” (fala-se chi), Energia Vital. Na verdade, corpo, órgãos, mente são partes inseparáveis de um todo.

O Anterior é a primeira de três partes do Lian Gong. Ele contém 18 terapias divididas em três séries: a primeira para ombros e pescoço, a segunda para costas e lombar e a terceira para glúteos e pernas.
Você vai conseguir praticar junto ao vídeo completo abaixo, com relativo sucesso já nas primeiras vezes, podendo aos poucos, conhecer mais detalhes do seu potencial terapêutico.  São 12 minutos que soltam, fortalecem e animam.

 

Lian Gong Anterior Série Completa com Jaime

Áudio para a prática

Baixar o arquivo de áudio

- O primeiro passo é continuar praticando com o vídeo acima. Naturalmente você vai precisando menos dele, o que te permite sentir as partes que estão sendo trabalhadas.


- O segundo passo, após se familiarizar ao vídeo acima, é praticar com as séries abaixo, para conhecer mais a fundo as especificidades das terapias. Pratique com o vídeo da 1ª série até assimilar, a seguir faça o mesmo com a segunda série e assim por diante. Observe que há uma descrição dos erros mais frequentes e ação terapêutica de cada terapia.

 

  • vídeo parcial e detalhes - 1ª série

    1ª série

    Exercícios para a região do pescoço e ombros

    1. Movimento do pescoço

      • Indicações terapêuticas: torcicolos, lesões dos tecidos moles da região do pescoço.
      • Erros mais frequentes: inclinar a cabeça ou girar o tronco para o lado ao girar o pescoço. Também projetar o abdômen ao inclinar a cabeça para trás, ou flexionar o tronco ao abaixar a cabeça.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    2. Arquear as mãos

      • Indicações terapêuticas: dores e enrijecimento da nuca, ombros e costas.
      • Erros mais frequentes: projetar os cotovelos para trás ao abrir os braços. Abrir ou elevar demais os braços.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Estender as palmas para cima

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros, região lombar.
      • Erros mais frequentes: os braços não sobem perpendicular ao chão, ou seja, não estão paralelos entre si, os braços não esticam e projetar abdômen para frente.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Expandir o peito

      • Indicações terapêuticas: periatrite ou obstrução da articulação do ombro, dores no pescoço costas e região lombar.
      • Erros mais frequentes: não levar o braço esticado para cima. Não descer a palma voltada para cima. Não rotacionar para o alto e para trás os braços e não olhar as mãos descendo pela esquerda e direita.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    5. Despregar as asas

      • Indicações terapêuticas: rigidez nos ombros e obstrução dos movimentos dos membros superiores.
      • Erros mais frequentes: não elevar os cotovelos acima da linha das sobrancelhas, pulsos devem estar relaxados e na descida do braço, há um movimento de empurrar as palmas para baixo.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    6. Levantar o braço de ferro

      • Indicações terapêuticas: rigidez e dificuldade de movimentação dos ombros; dores no pescoço, ombros e cintura; sensação de gases na região abdominal.
      • Erros mais frequentes: os braços não se elevam retos, inclinar o corpo ou girá-lo e inclinar a cabeça.
      • Postura dos pés: largura do ombro
  • vídeo parcial e detalhes - 2ª série

    2ª série

    Exercícios para a prevenção e tratamento das dores nas costas

    1. Empurrar o céu e inclinar para o lado

      • Indicações terapêuticas: rigidez no pescoço e cintura pélvica; dificuldade de movimentação das articulações dos ombros, cotovelos e coluna vertebral; escoliose.
      • Erros mais frequentes: os braços não permanecem esticados, flexionar o joelho, arquear os ombros ou girar o tronco.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    2. Girar a cintura e projetar as palmas

      • Indicações terapêuticas: lesões nos tecidos moles do pescoço, ombros, costas e região lombar, provocando dores na nuca, cintura escapular, acompanhadas de adormecimento nos braços, mãos; atrofia muscular.
      • Erros mais frequentes: os braços não permanecem esticados, flexionar o joelho, arquear os ombros ou girar o tronco.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Rodar a cintura com as mãos nos rins

      • Indicações terapêuticas: Torção aguda ou dor crônica na cintura. Dores proveniente de lesões provocadas por permanência prolongada numa mesma posição de trabalho ou de esforço repetitivo.
      • Erros mais frequentes: inclinar a cabeça para compensar o peso na lombar, não manter as pernas eretas e não utilizar a força das mãos para ampliar o movimento do quadril.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Abrir os braços e flexionar o tronco

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros, região dorsal e cintura pélvica.
      • Erros mais frequentes: tencionar os braços ou mantê-los fora da linha dos ombros, abaixar a cabeça ou arquear os braços para trás.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    5. Espetar com as palmas para o lado

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros e cintura pélvica e desordem nas articulações da cintura.
      • Erros mais frequentes: Os abertura das pernas pequena demais, inclinar o tronco para frente, manter muito baixa ou muito alta a palma que espeta, perna de trás flexionada e girar o tornozelo para dentro.
      • Postura dos pés: largura de dois ombros
    6. Tocar os pés com as mãos

      • Indicações terapêuticas: lesões dos tecidos cartilaginosos da cintura pélvica e pernas, dificuldade em girar a cintura, escoliose, dores, formigamento e dificuldade em flexionar e estender a coluna.
      • Erros mais frequentes: Os os braços não são abaixados juntos com o tronco, flexionar o joelho e abaixar a cabeça.
      • Postura dos pés: juntos
  • vídeo parcial e detalhes - 3ª série

    3ª série

    Exercícios para a prevenção e tratamento de dores nos glúteos e nas pernas

    1. Rodar o joelho à esquerda e à direita 

      • Indicações terapêuticas: dores nas articulações dos joelhos e tornozelos quando se realiza o movimento de rotação.
      • Erros mais frequentes: Não realizar a rotação do joelho, levantar os calcanhares, separar os pés, não manter a mesma velocidade ao longo de toda a execução, apoiar o peso do corpo sobre o joelho, abaixar a cabeça e flexionar os braços.
      • Postura dos pés: juntos
    2. Flexionar a perna e girar o tronco

      • Indicações terapêuticas: dor na cintura pélvica, glúteos, pernas, dificuldade nos movimentos das articulações do quadril.
      • Erros mais frequentes: Os separar pouco as pernas, não flexionar as pernas o suficiente, mantendo a base muito alta, inclinar o tronco para frente, girar a cabeça e abrir os pés para fora.
      • Postura dos pés: largura de dois ombros
    3. Flexionar e esticar as pernas

      • Indicações terapêuticas: atrofia muscular devido a dificuldade de movimentação das articulações do quadril e dos joelhos e dificuldade de flexionar e esticar os membros inferiores. Ciática.
      • Erros mais frequentes: Os separar os pés, levantar o quadril e os calcanhares ao agachar e abaixar a cabeça.
      • Postura dos pés: juntos
    4. Tocar o joelho e levantar a palma

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros, cintura pélvica e pernas; atrofia dos músculos inferiores.
      • Erros mais frequentes: Os abertura muito pequena das pernas, inclinar o tronco e a cabeça, projetar os glúteos e flexionar o cotovelo.
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    5. Abraçar o joelho contra o peito

      • Indicações terapêuticas: dores nas nádegas e pernas, dificuldade na flexão e extensão das pernas.
      • Erros mais frequentes: Dar um passo largo de mais, flexionar os braços, curvar o tronco ao abraçar a perna, instabilidade do centro de gravidade.
      • Postura dos pés: juntos
    6. Passos marciais

      • Indicações terapêuticas: dores nas pernas e limitação dos movimentos de suas articulações.
      • Erros mais frequentes: falta de uma distinção clara entre o pé cheio e o pé vazio, projeção do tronco para frente e não flexionar o tornozelo do pé vazio.
      • Postura dos pés: juntos

- O terceiro passo em Aulas Abertas é praticar só com o áudio, que fica abaixo do vídeo completo. Esse talvez seja o passo mais importante na sua evolução, pois não só te liberta do vídeo, mas abre a incrível possibilidade de outras pessoas fazerem essa prática com você.
Há milhares de grupos fazendo essas terapias em praças, unidades de saúde, condomínios, ou por vídeo conferência. A maioria faz pelo prazer de fazer, outros como uma fonte de renda, mas todos estão criando um hábito precioso ao seu redor. Faça isto você também!

-O quarto passo na sua evolução, é fazer um dos nossos cursos em Aulas Ao Vivo, onde o professor poderá aprimorar seus movimentos e ensinar muitas coisas novas. A Via Cinco é uma empresa sem fins lucrativos, por isso cobramos valores bastante reduzidos, sem abrir mão da qualidade.

 

 

Saiba mais sobre Lian Gong Anterior

Lian Gong Anterior

 

O Lian Gong Anterior, bem como o Posterior e I Qi Gong, que também oferecemos aqui, foi criado na década de 60 pelo famoso médico ortopedista chinês Dr. Zhuang Yuan Ming, para permitir aos seus pacientes que continuassem a fisioterapia depois da consulta.

Rapidamente, essas técnicas se tornaram muito populares na China, pelos seus benefícios à crescente população urbana, que já experimentava os efeitos do sedentarismo e lesões por esforço repetitivo (LER). 
Embora tenha ênfase no aspecto físico, o Anterior preserva características de Qi Gong, ou seja, prática voltada para a circulação da energia vital Qi.

Na Medicina Tradicional Chinesa, o Qi, além de ser o ar que respiramos, é também a energia responsável pelas atividades e funções corporais. Quando estamos doentes, hospedamos um Qi de estagnação que precisa ser eliminado e, no seu lugar, o Qi correto é estabelecido.
Os movimentos devem mobilizar o Nei Jing (força interna) e permitir a percepção do Qi. Segundo as teorias da Medicina Tradicional Chinesa, o Qi é a base da vida e o mestre do sangue. Quando o Qi flui o sangue flui. Caso contrário há estagnação. Assim, é necessário enfatizar a força interna, o Nei Jing, para que ela lidere o Qi, e este último, lidere o Sangue.

Em 1978, Maria Lucia Lee em visita à China, viu o potencial terapêutico dessa prática. Em parceria com o Doutor Zhuang, a trouxe ao Brasil, onde promoveu intensos esforços, publicando livros (veja nossa bibliografia recomendada em Para Praticantes), divulgando as práticas em seu programa na TV Cultura, além de oferecer cursos, palestras, entre outras iniciativas.

 

Saiba mais sobre os 11 princípios para a boa performance nas práticas chinesas

os 11 princípios para a boa performance nas práticas chinesas

Os Princípios da Prática em 11 Frases

(Interpretação de Maria Lucia Lee)

1 ATUA OBJETIVAMENTE NA NECESSIDADE

Um bom médico prescreve segundo o caso. Um bom comandante decide seus métodos segundo o inimigo ( Sun Zi “A Arte da Guerra”)

. Os exercícios são holísticos, operam na melhora de uma patologia localizada com a participação de todo o corpo;

. A objetividade, dentro de uma ação global, obtém resultados rápidos e eficazes. Movimento dispersos e espalhados diluem o resultado.

2 TREINAR COM ALEGRIA

Todas as doenças surgem das emoções. Se as emoções são leves, leves são as doenças. (Shao Young, 1011 – 1077)

O desgosto te torna velho, o riso te faz jovem (Ditado Popular)

. Para treinar com alegria não deve haver preocupações e nem ser displicente;

. A alegria não é euforia e sim entusiasmo.

3 CADÊNCIA LENTA E MOVIMENTO CONTÍNUO

A medicação segue depois da alimentação e está, depois do exercício. Saber mover-se favorece a saúde, (Princípio das Artes Corporais Chinesas)

. Movimento de cadência lenta e de fluxo contínuo induz o qi a percorrer o corpo, levando a consciência e a ação terapêutica em seu fluxo;

. Movimentos bruscos e rápidos podem desequilibrar e machucar.

4 COORDENAR MOVIMENTO E RESPIRAÇÃO

 Sem desejos nem preocupações, então respiração e movimento se tornam UM. Movimento respira e a respiração se move. (Princípio das Artes Corporais Chinesas)

. A respiração bombeia o sopro para as extremidades do corpo;

. A respiração integra o corpo, concentra e vivifica;

. A respiração é o ritmo celeste que potencializa a força interna

5 MOVIMENTO ORDENADO, ALINHADO E EQUILIBRADO

Uma Planta sem raiz não recebe os benefícios do Céu. Sem captar os benefícios do Céu, não se fortalece a raiz. (Princípio das Artes Corporais Chinesas)

. Movimentar-se de forma ordenada, com o corpo alinhado e ordenado, não gasta qi, pelo contrário, conserva-o;

. Movimentar-se desordenadamente e sem equilíbrio, provoca tensões e desgastes

 6 MOVIMENTO DEVE SER AMPLO

O Dao é grandioso. Ele flui. Tendo ido longe, ele volta. (Daodejing, verso 26)

. Conquistar movimentos cada vez mais amplos, modifica estados patológicos de circulação e metabolismo;

. Movimentos amplos, que partem do centro, liberam articulações; dissolvem aderências, contraturas e inflamações. Tonificam tendões, músculos e ossos.

7 MOBILIZAR A FORÇA INTERNA

Que a intenção lidere o qi, que este dê origem à força interna e que a força interna alcance os quatro membros. (Princípios das Artes Corporais Chinesas)

. A força interna é oposta à força muscular;

. A força muscular nasce do músculo, é limitada, mecânica, e não tem continuidade. Diminui com a idade, quando tendões, músculos e ossos declinam;

. A força interna nasce do “qi verdadeiro”, é ilimitado e flui incessantemente quando requisitada por uma intenção que o direcione.

8 É PRIORITÁRIO “OBTER O QI”

 O sábio é guiado pelo que sente e não pelo que vê. (Daodejing, verso 12)

. Onde chega o qi, chega o efeito terapêutico;

. A presença do qi é percebida pelas sensações de “dor azeda”, intumescimentos, peso e ardor na região focalizada;

. Se não há percepção de sensações, não há obtenção do qi.

9 PRATICAR COM DOSAGEM ADEQUADA

Trabalhar sem se desgastar, saborear o sem sabor, tornar o pequeno magnífico, aumentar o pouco, ver a simplicidade na complexidade, realizar o grande nas pequenas coisas. (Daodejing verso 63)

. Pessoas debilitadas devem realizar exercícios na dosagem adequada;

. A medida que o praticante for se fortalecendo, a intensidade e frequência dos exercícios devem ser aumentados gradativamente.

10 APERFEIÇOAR A PRÁTICA GRADATIVAMENTE

Aquele que sabe que não sabe, é sábio. Aquele que ignora que não sabe, é ignorante.                       (Provérbio Chinês)

. Após aprender o esboço geral deve-se, a cada dia, aperfeiçoar a prática e o conhecimento de si próprio;

. Deve-se evitar a mera repetição mecânica dos exercícios.

11 PREVENIR E TRATAR DOENÇAS DEPENDE DA PERSISTENCIA E REGULARIDADE DAS PRÁTICA

O aluno sábio ouve sobre o Dao e o pratica diligentemente. O aluno médio ouve o Dao e o pratica de vez em quando. O aluno tolo ouve sobre o Dao e ri. (Daodejing verso 41)

Transformar músculos, tendões e ossos doentes em saudáveis e dissolver a estagnação do sangue e retardamento do Qi, somente é possível com práticas regulares e realizadas com entusiasmo.