menu play audio video alerta alerta-t amigo bola correio duvida erro facebook whatsapp informacao instagram mais menos sucesso avancar voltar download gmais twitter direita esquerda acima abaixo item xis

Curso aberto - Lian Gong Posterior

Lian Gong Posterior

Lian Gong é uma fisioterapia que você pode fazer em si mesmo. São movimentos amplos, naturais e contínuos. Isto faz com que melhore a circulação da energia vital.

Atualmente o Lian Gong é uma das terapias mais oferecidas pelo nosso Sistema de Saúde, como Prática Integrativa e Complementar aos cuidados médicos (PICS). Há muitas pesquisas sobre os seus benefícios, entre as quais destacamos a promovida pela UFMG. (saiba mais sobre esta pesquisa em Para Praticantes). 

Com movimentos amplos, naturais e contínuos você restaura partes do seu corpo, que não estavam sendo movimentadas adequadamente. É uma prática para todas as idades e pode ser feita em qualquer lugar, pois não requer aparelhos ou locais para se deitar.

Seguindo os 11 Princípios (abaixo), que ensina outros aspectos dos movimentos envolvendo respiração e estado de espírito, você atua na circulação energética, como pretende os Qi Gong. Conhecendo melhor as práticas, você vai se familiarizar com o conceito de “QI” (fala-se chi) energia vital. Na verdade, corpo, órgãos, mente são partes inseparáveis de um todo.

O Posterior é a segunda parte do Lian Gong, mas pode ser praticado de forma independente, em qualquer ordem.
Nas duas primeiras séries o foco são articulações e tendões, que vão perdendo elasticidade e amplitude com a vida urbana e idade.  A terceira é voltada para disfunções orgânicas mais frequentes, que provocam insônia, irritação etc.

Você vai conseguir praticar junto ao vídeo completo abaixo, com relativo sucesso já nas primeiras vezes, podendo aos poucos, conhecer mais detalhes do seu potencial terapêutico.  São 12 minutos que soltam, fortalecem e animam.

 

Série completa do Lian Gong Posterior com Mestre Zhuang Jian Shen

Posterior

Baixar o arquivo de áudio

- O primeiro passo é continuar praticando com o vídeo acima. Naturalmente você vai precisando menos dele, o que te permite sentir as partes que estão sendo trabalhadas.


- O segundo passo, após se familiarizar ao vídeo acima, é praticar com as séries abaixo, para conhecer mais a fundo as especificidades das terapias. Pratique com o vídeo da 1ª série até assimilar, a seguir faça o mesmo com a segunda série e assim por diante. Observe que há uma descrição dos erros mais frequentes e ação terapêutica de cada terapia.

  • vídeo parcial e detalhes - 1ª série

    1ª série

    Exercícios para prevenção e tratamento de articulações doloridas das extremidades

    1. Flexionar as pernas e projetar as palmas

        Trabalha as articulações, especialmente dos braços e mãos.
        Pés abrem na largura de um ombro e meio.
        Mãos fechadas com polegares dobrados abaixo dos dedos.
        Esticar os braços com movimento espiralado, inspirando.
        Voltar soprando.
        Não subir os ombros.
        Não projetar os ombros e a coluna para frente.
    2. Cruzar as pernas e projetar a palma

        Trabalha articulações no corpo todo, especialmente das pernas e pés.
        Pés abrem na largura de um ombro.
        Girar para a esquerda, um pé de cada vez pelo calcanhar, o direito 45 graus, o esquerdo 180 graus, girando o corpo para trás (o peso do corpo no pé estável).
        Flexionar as pernas encaixando a direita por trás e abrir os braços de forma espiralada p/ o lado e o outro braço faz oposição para o outro. Voltar em dois tempos. Inspirar no impar e soprar no par.
        Repetir para o outro lado.
    3. Circulando de cima para baixo

        Trabalha articulações no corpo todo.
        Pés começam juntos.
        Movimento do braço esquerdo espiralado para cima, terminando com os dedos apontados para trás, (segurando uma bandeja), inspirando.
        Girar a cintura, soprando baixar a mão pela lateral, mantendo o olhar na mão até em baixo, inspirando, e voltar espirando.
        Não dobrar o joelho ao descer (não é necessário alcançar os pés).
        Manter a cabeça alinhada com a coluna, (não soltar a cabeça em baixo.) Repetir para o outro lado.
    4. Girar o tronco e olhar para trás

        Trabalha as articulações, especialmente no pescoço, ombros e pernas.
        Pés abrem na largura de dois ombros.
        Girar o pé de apoio em 45 graus e depois o pé da frente além de 90 graus. Flexionar a perna da frente para assentar a bacia. Cuidado para não projetar o tronco para frente.
        Fazer movimento espiralado com o braço para cima e girar a cintura com a ajuda do outro braço. Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    5. Esticar o calcanhar esquerdo e direito

        Trabalha as articulações, especialmente dos joelhos e tornozelos.
        Pés abrem na largura de um ombro.
        Subir o joelho na altura do quadril (se possível) e projetar o pé na diagonal, cruzando a perna de apoio. O tornozelo deve girar para o calcanhar terminar o movimento para fora.
        Ao fazer esse movimento mantenha a bacia no eixo.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    6. Chutar para os quatro lados

        Trabalha as articulações, especialmente do quadril, joelhos e tornozelos.
        Pés começam juntos.
        No 1º, trazer o arco interno do pé esquerdo para cima, na linha da outra coxa. Repetir para o outro lado.
        No 2º, o pé vai para o lado na mesma linha do outro, mantendo a sua ponta voltada para frente. Manter a bacia estável. Fazer do outro lado.
        No 3º, como se estivesse fechando uma gaveta, chutar com a “almofada” do pé e em seguida voltando e recolhendo os dedos dos pés. Fazer com o outro pé.
        No 4º, manter os joelhos juntos, (não projetar para frente). Inspirar na contagem impar e soprar na par.
  • vídeo parcial e detalhes - 2ª série

    2ª série

    Exercícios para prevenção e tratamento de tenossinovites

    1. Empurrar para os quatro lados

        Trabalha os tendões associados com os movimentos dos cotovelos, pulsos e dedos das mãos.
        Pés começam na largura dos ombros.
        Subir os braços até estendê-los com movimentos espiralados, (os ombros são os últimos a subir) e volta. Depois abrir as palmas como que empurrando algo para os lados até estender os braços, girando a cintura pélvica para a esquerda, direita e por último, para frente.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    2. Esticar o arco e atirar a flecha

        Trabalha os tendões associados com os movimentos dos cotovelos, pulsos e dedos das mãos.
        Pés abrem na largura de um ombro e meio. Cruzar as palmas abertas e anguladas, feche-as em frente ao peito enquanto assenta a bacia na postura de “Montar a Cavalo”. Em seguida, abrir o braço esquerdo para o lado até estendê-lo, angulando a palma para cima, sem inclinar o tronco para frente. O braço direito faz oposição. Os braços se estendem para trás com as mãos anguladas em direção aos glúteos e voltar a postura inicial e repetir para o outro lado.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    3. Erguer os braços e girar os punhos

        Trabalha os tendões associados com os movimentos dos cotovelos, pulsos e dedos. Também atua nas costas e cintura.
        Pés abrem na largura de um ombro.
        Estender os braços para cima, até as mãos ficarem paralelas. Fechar e girar as mãos, levando os braços para trás e para baixo.
        Em seguida faz o reverso: abrir as mãos levando os braços para trás e para cima, fechar as mãos, trazendo-as até em baixo, rotacionando os pulsos.
        Fazer com firmeza, mas sem força.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    4. Esticar a palma e a mão de gancho

        Trabalha os tendões associados com os movimentos dos cotovelos, pulsos e dedos das mãos. Atua também nas costas e cintura.
        Pés abrem na largura de um ombro.
        Levar o braço esquerdo em movimento espiralado para frente e para cima, enquanto o outro braço leva de forma espiralada a mão fechada rente ao tronco e se estica para trás.
        Só os braços se movimentam, sem girar o tronco.
        Não deixe o ombro ir para trás.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    5. Projetar o punho

        Trabalha os tendões associados com os movimentos dos cotovelos, pulsos e dedos. Também atua nas costas, ombros e cintura.
        Pés abrem na largura de um ombro e meio.
        Projetar o braço esquerdo para frente como um soco em câmara lenta, assentando a bacia.
        Ao estender o braço, abrir a mão girando o punho e então retornar.
        Em seguida o mesmo com o braço direito.
        O movimento é feito com o tronco ereto, voltado para frente.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    6. Soltar os braços e girar a cintura

        Terapia para soltar músculos e tendões ligados aos ombros, cotovelos e costas.
        Pés abrem na largura de um ombro.
        Impulsionando o movimento pela cintura, os braços giram para esquerda e direita, mantendo os ombros assentados.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
  • vídeo parcial e detalhes - 3ª série

    3ª série

    Exercícios para prevenção e tratamento de desordens funcionais dos órgãos internos

    1. Massagear o rosto e o ponto de sedação

        Primeira Parte
        Massagem no rosto e cabeça voltada para regular o estresse, agitação, insônia e pressão arterial. Massagear 4 vezes os pontos:
        - Olho Brilhante (Jing Ming): também atua nos problemas visuais. No final do osso, perto do canal lacrimal.
        - Supremo Yang (Tai Yang), problemas e incômodos na cabeça. Logo depois dos olhos em direção as orelhas.
        - Porta do Vento: dor de cabeça, hipertensão, resfriado, vertigem.
        - Cavidade para baixar ou regular a pressão, atrás da orelha, na depressão. (oposta a saliência localizada na frente desta).
        Além disso vários pontos secundários pelos quais as mãos passam.

        Segunda parte:
        Massagem na mão, Ponto de Sedação (Suei Mian Xue), que potencializa a massagem anterior.
        Se encontra junto a articulação do indicador.
        Fazer pressão constante (não pulsar) e olhos fechados para se concentrar.
        Inspirar na contagem ímpar e soprar na par.
    2. Massagear o peito e abdômen

        Para harmonizar as funções dos órgãos internos e trazer conforto a região.
        Colocar as mãos, (direita em baixo), no ponto Centro do Estômago (Zhong Wan) e massagear no sentido horário, com firmeza por 4 contagens, em seguida massagear o contorno do ventre por 4 contagens, passando pelos pontos Mar do Qi, e Celeiro do Qi Primordial. Em seguida, voltar no sentido anti-horário, primeiro pelo contorno e terminando no Centro. A respiração potencializa a massagem: inspirar quando as mãos sobem e soprar quando elas descem.
        Erro mais comum é massagear superficialmente.
    3. Pentear o cabelo girando a cintura

        A massagem solta as tensões da cabeça, que é energia represada, favorecendo a sua distribuição nos órgãos. Ela desestressa e acalma.
        Com os pés na largura dos ombros, começa com a mão esquerda, “arranhando” a cabeça com as pontas dos dedos, inspirando. Diversos pontos que serão massageados.
        - Girar o pescoço e coçar a nuca duas vezes, expirando, sentindo o ponto Porta do Vento.
        - Massagear a região acima da orelha, Comando do Vale, quatro vezes, inspirando.
        - Massagear na têmpora, o ponto Supremo Yang, 4 vezes, expirando.

        A massagem deve ter firmeza, não deve ser leve, mas não deve ser com muita força.
    4. Levantar a palma e o joelho oposto

        Essa manobra massageia o coração, pulmão e aparelho digestivo, portanto é importante sentir essa região.

        - Iniciar com os pés juntos, a mão esquerda “empurra o Céu”, com dedos voltados para trás e a direita “empurra a Terra”, com os dedos voltados para frente. Enquanto isso, levantar a perna direita e, se possível, olhar para cima, inspirando. Voltar a postura original, soprando.
        - Repetir a manobra com as mãos e pés trocados.
    5. Girar o tronco e inclinar para frente e para trás

        O foco são os rins, que na Medicina Chinesa envolve lombar e baixo ventre e onde se localiza o Dan Tien (Campo Cultivável) portanto a manobra se presta para energizar.

        1- As mãos “empurram o Céu”, com braços bem estendidos, inspirando.
        2- Elas descem para espalmar os rins, soprando.
        3- Rotacionar o tronco a esquerda, inspirando...
        4- ... e a direita, soprando.
        5- Voltar ao centro, inspirando
        6*- Inclinar para frente, soprando…
        7*- … e para trás, inspirando
        8- Voltar, soprando.

        * a cabeça no prolongamento da coluna.
        Pés na largura dos ombros, ficam estáveis.
        Em seguida repetir a manobra, rotacionando para a direita.
    6. Esticar os braços levantando os calcanhares

        O objetivo principal aqui é ampliar a capacidade respiratória.

        Com os pés na largura dos ombros cruzar as mãos (esquerda por cima da direita), e subir com os braços esticados até a altura das orelhas e em seguida abrir na lateral, até uma mão ficar a cerca de 80cm da outra. (não abrir mais pois reduz o efeito).
        Quando abrir os braços, erguer os calcanhares e olhar para cima. Esse movimento se faz, inspirando.
        Em seguida descer as mãos e calcanhares, soprando.
        Repetir 4 vezes.

- O terceiro passo em Aulas Abertas é praticar só com o áudio, que fica abaixo do vídeo completo. Esse talvez seja o passo mais importante na sua evolução, pois não só te liberta do vídeo, mas abre a incrível possibilidade de outras pessoas fazerem essa prática com você.
Há milhares de grupos fazendo essas terapias em praças, unidades de saúde, condomínios, ou por vídeo conferência. A maioria faz pelo prazer de fazer, outros como uma fonte de renda, mas todos estão criando um hábito precioso ao seu redor. Faça isto você também!

-O quarto passo na sua evolução, é fazer um dos nossos cursos em Aulas Ao Vivo, onde o professor poderá aprimorar seus movimentos e ensinar muitas coisas novas. A Via Cinco é uma empresa sem fins lucrativos, por isso cobramos valores bastante reduzidos, sem abrir mão da qualidade.

Saiba mais sobre Lian Gong Posterior

Lian Gong Posterior

O Lian Gong Posterior, bem como o Anterior e I Qi Gong, que também oferecemos aqui, foi criado na década de 60 pelo famoso médico ortopedista chinês Dr. Zhuang Yuan Ming, para permitir aos seus pacientes que continuassem a fisioterapia depois da consulta.

Rapidamente, essas técnicas se tornaram muito populares na China, pelos seus benefícios à crescente população urbana, que já experimentava os efeitos do sedentarismo e Lesões por Esforço Repetitivo (LER). 
Embora tenha ênfase no aspecto físico, o Posterior preserva características de Qi Gong, ou seja, prática voltada para a circulação da energia vital Qi. Na Medicina Tradicional Chinesa, o Qi, além de ser o ar que respiramos, é também a energia responsável pelas atividades e funções corporais. Quando estamos doentes, hospedamos um Qi de estagnação que precisa ser eliminado e, no seu lugar, o Qi correto é estabelecido.
Os movimentos devem mobilizar o Nei Jing (força interna) e permitir a percepção do Qi. Segundo as teorias da Medicina Tradicional Chinesa, o Qi é a base da vida e o mestre do sangue. Quando o Qi flui o sangue flui. Caso contrário há estagnação. Assim, é necessário enfatizar a força interna, o Nei Jing, para que ela lidere o Qi, e este último, lidere o Sangue.

Em 1978, Maria Lucia Lee, em visita à China, viu o potencial terapêutico dessa prática. Em parceria com o Doutor Zhuang, a trouxe ao Brasil, onde promoveu intensos esforços, publicando livros (veja nossa bibliografia recomendada em “Para Praticantes”), divulgando as práticas em seu programa na TV Cultura, além de oferecer cursos, palestras, entre outras iniciativas.