menu play audio video alerta alerta-t amigo bola correio duvida erro facebook whatsapp informacao instagram mais menos sucesso avancar voltar gmais twitter direita esquerda acima abaixo item xis symbol

Lian Gong e I Qi Gong …forjando um corpo saudável!

Lian Gong é uma fisioterapia que você pode fazer em si mesmo. São movimentos amplos, naturais e contínuos. Isto faz com que melhore a circulação da energia vital.

Um dos principais objetivos da Via Cinco é apoiar o praticante e instrutor de Lian Gong e I Qi Gong. (fala-se liancum e iticum).

Estas duas práticas foram criadas por Dr Zhuang, importante médico chinês. O Lian Gong, para forjar um corpo saudável contém 2 partes: Anterior e a Posterior. As partes estão divididas em séries, que enfatizam regiões do corpo.

O I Qi Gong está mais direcionado ao sistema respiratório e é muitas vezes feita em seguida do Lian Gong, formando a terceira parte da prática completa. Mas nada impede que se faça apenas o I Qi Gong, Posterior ou Anterior em separado.

Você pode fazer as práticas como uma sequência, que é a forma que se faz em local aberto, ou de forma mais específica para se reabilitar. No segundo caso, recomendamos que você já conheça bem os exercícios. Dependendo do caso, peça informação ao instrutor ou mesmo a um fisioterapeuta.

Oferecemos várias possibilidades para você praticar: se você ainda não conhece os exercícios, pode fazer as práticas junto ao vídeo. Se já conhece pode recorrer aos áudios.

Cada parte do Lian Gong contém 3 séries. Caso queira saber mais sobre as séries, você pode praticá-las em separado.

Mas lembre-se de fazer uma verificação de tempos em tempos. Nada substitui o professor. Você pode começar agora mesmo, não requer roupa especial! Mas antes temos 2 dicas:

  • Faça movimentos naturais. Esticar-se ou fazer movimentos amplos é importante, mas não force.
  • Faça com alegria, curta os movimentos lentos e contínuos.

Ver mais sobre Lian Gong - Forjando um corpo saudável

Lian Gong - Forjando um corpo saudável

Lian Gong é uma fisioterapia que você pode fazer em si mesmo.

Com  movimentos amplos, naturais e contínuos voce  restaura  partes do seu corpo, que muitas vezes não estavam sendo movimentadas adequadamente.

É uma terapia para todas as idades. Você consegue acompanhar o instrutor com relativo êxito já na primeira vez, embora extrair todo o seu potencial terapêutico, pode levar algum tempo de trabalho, pois implica em familiarizar-se com a terapia e com o próprio corpo. Esta é uma terapia que pode ser feita em qualquer lugar, não requer aparelhos ou locais para se deitar.

Faça isto em silêncio e com atenção na terapia, o que promove uma melhor circulação energética. Lembre que esta  prática traz características de Qi Gong, trabalho para obtenção de energia vital, o que também favorece os órgãos e a mente.

Conhecendo melhor este site, você vai se familiarizar com o conceito de “QI”, fala-se chi, energia vital. Na verdade, corpo, órgãos, mente são partes inseparáveis de um todo, por onde a energia corre.

No final da prática o corpo vai estar mais solto, mais vivo, com mais ânimo e tônus.

Histórico

O Lian Gong foi criado na década de 60 pelo famoso médico ortopedista chinês Dr. Zhuang Yuan Ming, para permitir aos seus pacientes que continuassem a fisioterapia depois da consulta.

Rapidamente, esta técnica se tornou muito popular na China, pelos seus benefícios à crescente população urbana, que já experimentava os efeitos do sedentarismo e lesões por esforço repetitivo (LER).

Mas foi a Maria Lucia Lee, que visitou a China em 1978 e trouxe a prática para o Brasil, onde traduziu os livros do Dr Zhuang, (veja nossa bibliografia recomendada em "Dicas” ),  e os divulgou em seu programa na TV Cultura, em cursos, palestras e criou grupos de práticas aberta ao público, entre outras iniciativas.

Atualmente o Lian Gong é a terapia mais recomendada pelo Sistema de Saúde como prática integrativa e complementar à saúde (PICS).

Há muitas pesquisas sobre os benefícios do Lian Gong para a saúde, entre as quais destacamos a promovida pela UFMG. ( saiba mais sobre esta pesquisa e as PICS em Dicas). 

É cada vez mais comum nas cidades brasileiras, a prática do Lian Gong em locais públicos, principalmente oferecidas pelas Unidades de Saúde, o que incentiva a população participar dos cuidados de sua própria saúde .

Ver mais sobre I Qi Gong - beneficiamento dos sopros vitais

I Qi Gong - beneficiamento dos sopros vitais

Nos anos 70, o Dr Zhuang, criador do Lian Gong, já possuía um consultório especializado em tratamentos de bronquite em Shangai na China.

O tratamento era através de medicamentos, levando-o a constatar que, os pacientes não conseguiam se fortalecer, elevar a resistência do organismo e melhorar as funções do sistema respiratório para atingir o objetivo maior, que é prevenir recaídas da doença.

Foi desta forma que ele criou estes exercícios voltados para o sistema respiratório, ao mesmo tempo que tem uma atuação abrangente sobre o organismo.

Assim, podemos aumentar a capacidade do sistema respiratório, a quantidade de oxigênio nos pulmões, melhorar o sistema circulatório, dinamizar o metabolismo em geral.

O resultado é uma maior resistência do organismo do paciente para poder “na presença da doença, curar a doença; na ausência da doença, fortalecer o corpo”.

Os exercícios atuam no Qi. Na Medicina Tradicional Chinesa, o Qi, além de ser o ar que respiramos, é também a energia responsável pelas atividades e funções corporais. Quando estamos doentes, hospedamos um Qi de estagnação que precisa ser eliminado e, no seu lugar, o Qi correto é estabelecido.

Os movimentos devem mobilizar o Nei Jing (força interna) e permitir a percepção do Qi. Segundo as teorias da Medicina Tradicional Chinesa, o Qi é a base da vida e o mestre do sangue. Quando o Qi flui o sangue flui. Caso contrário há estagnação. Assim, é necessário enfatizar a força interna, o Nei Jing, para que este lidere o Qi, e este último, lidere o Sangue.

A poluição combinada com o frio vem sendo a causa do crescente número de pessoas com doenças respiratórias. Segundo a medicina tradicional chinesa, as doenças de inverno se previnem no verão, ou seja, esta é uma prática para se fazer com regularidade.

No I Qi Gong, a inspiração é pelo nariz e a expiração pela boca. Quando o movimento é de expansão ele é feito na inspiração, seguido pela expiração para retornar ao eixo. Mas cuidado para não forçar a respiração.

Os movimentos são lentos, contínuos, combinados com a respiração natural.

A combinação do movimento e respiração é que levará melhoria aos mais diversos pontos do sistema respiratório.

A amplitude dos movimentos aumenta a quantidade de ar que flui pelos pulmões, caixa torácica e diafragma.

Ampliando e aprofundando os movimentos respiratórios, aceleramos o metabolismo como um todo.

Ver mais sobre Princípios do Lian Gong e I Qi Gong

Princípios do Lian Gong e I Qi Gong

As recomendações importantes do Dr Zhuang, médico chinês e criador destas práticas:

  1. Movimento global, foco específico
  2. Treinar com alegria
  3. Realizar o movimento de forma lenta homogênea e contínua
  4. Coordenar movimento e respiração
  5. Movimento com o corpo ordenado, estruturado e alinhado
  6. O movimento deve ser amplo
  7. Mobilizar a força interior
  8. A finalidade principal é obter o Qi
  9. Prática com dosagem adequada
  10. Aperfeiçoar a prática gradativamente
  11. Prevenir doenças e tratar delas decorre da persistência e regularidade das práticas

parte 1

Lian Gong Anterior

Áudio para a prática

  • vídeo parcial e detalhes - 1ª série

    1ª série

    Exercícios para a região do pescoço e ombros

    1. Movimento do pescoço

      • Indicações terapêuticas: torcicolos, lesões dos tecidos moles da região do pescoço.
      • Erros mais frequentes: inclinar a cabeça ou girar o tronco para o lado ao girar o pescoço. Também projetar o abdômen ao inclinar a cabeça para trás, ou flexionar o tronco ao abaixar a cabeça.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    2. Arquear as mãos

      • Indicações terapêuticas: dores e enrijecimento da nuca, ombros e costas.
      • Erros mais frequentes: projetar os cotovelos para trás ao abrir os braços. Abrir ou elevar demais os braços.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Estender as palmas para cima

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros, região lombar.
      • Erros mais frequentes: os braços não sobem perpendicular ao chão, ou seja, não estão paralelos entre si, os braços não esticam e projetar abdômen para frente.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Expandir o peito

      • Indicações terapêuticas: periatrite ou obstrução da articulação do ombro, dores no pescoço costas e região lombar.
      • Erros mais frequentes: não levar o braço esticado para cima. Não descer a palma voltada para cima. Não rotacionar para o alto e para trás os braços e não olhar as mãos descendo pela esquerda e direita.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    5. Despregar as asas

      • Indicações terapêuticas: rigidez nos ombros e obstrução dos movimentos dos membros superiores.
      • Erros mais frequentes: não elevar os cotovelos acima da linha das sobrancelhas, pulsos devem estar relaxados e na descida do braço, há um movimento de empurrar as palmas para baixo.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    6. Levantar o braço de ferro

      • Indicações terapêuticas: rigidez e dificuldade de movimentação dos ombros, dores no pescoço, ombros e cintura; sensação de gases na região abdominal.
      • Erros mais frequentes: os braços não se elevam retos, inclinar o corpo ou girá-lo e inclinar a cabeça.
      • Postura dos pés: largura do ombro
  • vídeo parcial e detalhes - 2ª série

    2ª série

    Exercícios para a prevenção e tratamento das dores nas costas

    1. Empurrar o céu e inclinar para o lado

      • Indicações terapêuticas: rigidez no pescoço e cintura pélvica; dificuldade de movimentação das articulações dos ombros, cotovelos e coluna vertebral; escoliose.
      • Erros mais frequentes: os braços não permanecem esticados, flexionar o joelho, arquear os ombros ou girar o tronco.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    2. Girar a cintura e projetar as palmas

      • Indicações terapêuticas: lesões nos tecidos moles do pescoço, ombros, costas e região lombar, provocando dores na nuca, cintura escapular, acompanhadas de adormecimento nos braços, mãos; atrofia muscular.
      • Erros mais frequentes: os braços não permanecem esticados, flexionar o joelho, arquear os ombros ou girar o tronco.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Rodar a cintura com as mãos nos rins

      • Indicações terapêuticas: Torção aguda ou dor crônica na cintura. Dores proveniente de lesões provocadas por permanência prolongada numa mesma posição de trabalho ou de esforço repetitivo.
      • Erros mais frequentes: inclinar a cabeça para compensar o peso na lombar, não manter as pernas eretas e não utilizar a força das mãos para ampliar o movimento do quadril.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Abrir os braços e flexionar o tronco

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros, região dorsal e cintura pélvica.
      • Erros mais frequentes: tencionar os braços ou mantê-los fora da linha dos ombros, abaixar a cabeça ou arquear os braços para trás.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    5. Espetar com as palmas para o lado

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros e cintura pélvica e desordem nas articulações da cintura.
      • Erros mais frequentes: Os abertura das pernas pequena demais, inclinar o tronco para frente, manter muito baixa ou muito alta a palma que espeta, perna de trás flexionada e girar o tornozelo para dentro.
      • Postura dos pés: largura de dois ombros
    6. Tocar os pés com as mãos

      • Indicações terapêuticas: lesões dos tecidos cartilaginosos da cintura pélvica e pernas, dificuldade em girar a cintura, escoliose, dores, formigamento e dificuldade em flexionar e estender a coluna.
      • Erros mais frequentes: Os os braços não são abaixados juntos com o tronco, flexionar o joelho e abaixar a cabeça.
      • Postura dos pés: juntos
  • vídeo parcial e detalhes - 3ª série

    3ª série

    Exercícios para a prevenção e tratamento de dores nos glúteos e nas pernas

    1. Rodar o joelho à esquerda e à direita 

      • Indicações terapêuticas: dores nas articulações dos joelhos e tornozelos quando se realiza o movimento de rotação.
      • Erros mais frequentes: Não realizar a rotação do joelho, levantar os calcanhares, separar os pés, não manter a mesma velocidade ao longo de toda a execução, apoiar o peso do corpo sobre o joelho, abaixar a cabeça e flexionar os braços.
      • Postura dos pés: juntos
    2. Flexionar a perna e girar o tronco

      • Indicações terapêuticas: dor na cintura pélvica, glúteos, pernas, dificuldade nos movimentos das articulações do quadril.
      • Erros mais frequentes: Os separar pouco as pernas, não flexionar as pernas o suficiente, mantendo a base muito alta, inclinar o tronco para frente, girar a cabeça e abrir os pés para fora.
      • Postura dos pés: largura de dois ombros
    3. Flexionar e esticar as pernas

      • Indicações terapêuticas: atrofia muscular devido a dificuldade de movimentação das articulações do quadril e dos joelhos e dificuldade de flexionar e esticar os membros inferiores. Ciática.
      • Erros mais frequentes: Os separar os pés, levantar o quadril e os calcanhares ao agachar e abaixar a cabeça.
      • Postura dos pés: juntos
    4. Tocar o joelho e levantar a palma

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, ombros, cintura pélvica e pernas; atrofia dos músculos inferiores.
      • Erros mais frequentes: Os abertura muito pequena das pernas, inclinar o tronco e a cabeça, projetar os glúteos e flexionar o cotovelo.
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    5. Abraçar o joelho contra o peito

      • Indicações terapêuticas: dores nas nádegas e pernas, dificuldade na flexão e extensão das pernas.
      • Erros mais frequentes: Dar um passo largo de mais, flexionar os braços, curvar o tronco ao abraçar a perna, instabilidade do centro de gravidade.
      • Postura dos pés: juntos
    6. Passos marciais

      • Indicações terapêuticas: dores nas pernas e limitação dos movimentos de suas articulações.
      • Erros mais frequentes: falta de uma distinção clara entre o pé cheio e o pé vazio, projeção do tronco para frente e não flexionar o tornozelo do pé vazio.
      • Postura dos pés: juntos

parte 2

Lian Gong Posterior

Áudio para a prática

  • vídeo parcial e detalhes - 1ª série

    1ª série

    Exercícios para prevenção e tratamento de articulações doloridas das extremidades

    1. Flexionar as pernas e projetar as palmas

      • Indicações terapêuticas: dores nas articulações dos membros, principalmente dores nos joelhos e artrite.
      • Erros mais frequentes: Postura de montar a cavalo errada, isto é, o tronco se projeta para frente, lordose, inclinar para o lado, a ponta dos pés se volta para fora, erguer os ombros
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    2. Cruzar as pernas e projetar a palma

      • Indicações terapêuticas: dores nas articulações dos membros superiores e inferiores, no pescoço, nos ombros, na cintura e nas pernas.
      • Erros mais frequentes: não manter o equilíbrio do centro de gravidade, não girar os pés nos ângulos certos, separar muito os joelhos
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Circulando de cima para baixo

      • Indicações terapêuticas: dores no pescoço, nos ombros, nas costas, na cintura, nas pernas e nas articulações dos membros.
      • Erros mais frequentes: não esticar o braço ao projetar a palma para cima, inclinar o tronco para os lados e flexionar os joelhos
      • Postura dos pés: juntos
    4. Girar o tronco e olhar para trás

      • Indicações terapêuticas: dores nas articulações das extremidades, no pescoço, ombros e pernas.
      • Erros mais frequentes: levantar o calcanhar do chão, não flexionar a perna, deixar o tronco oscilar para o lado, ou inclinar para frente
      • Postura dos pés: largura de dois ombros
    5. Esticar o calcanhar esquerdo e direito

      • Indicações terapêuticas: lesão do coxim gorduroso sob a patela, dor na articulação dos membros inferiores, fraqueza e atrofia dos músculos das pernas
      • Erros mais frequentes: não manter o equilíbrio do centro de gravidade. Inclinar o tronco para os lados, não elevar a perna o suficiente, não esticar o calcanhar com vigor, não flexionar o tornozelo até apontar os dedos para cima
      • Postura dos pés: largura do ombro
    6. Chutar para os quatro lados

      • Indicações terapêuticas: dores no quadril, nos joelhos e nos tornozelos. Fraqueza dos membros inferiores
      • Erros mais frequentes: Instabilidade da base e do centro de gravidade, inclinar o tronco, não flexionar o tornozelo e falta de amplitude nos movimentos
      • Postura dos pés: juntos
  • vídeo parcial e detalhes - 2ª série

    2ª série

    Exercícios para prevenção e tratamento de tenossinovites

    1. Empurrar para os quatro lados

      • Indicações terapêuticas: cotovelo de tenista e tenossinovite no pulso e nos dedos
      • Erros mais frequentes: Os não manter as palmas levantadas e inclinar o tronco
      • Postura dos pés: juntos
    2. Esticar o arco e atirar a flecha

      • Indicações terapêuticas: cotovelo de tenista e tenossinovite na mão e nos dedos
      • Erros mais frequentes: Os não manter os braços alinhados, postura das pernas muito estreita, projetar o quadril para trás, inclinar o tronco para frente
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    3. Erguer os braços e girar os punhos

      • Indicações terapêuticas: cotovelo de tenista, tenossinovite no estiloide do rádio e ulna, dores nas costas e na cintura.
      • Erros mais frequentes: Os não manter os braços retos ao elevá-los
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Esticar a palma e a mão de gancho

      • Indicações terapêuticas: cotovelo de tenista, tenossinovite no estiloide do rádio e da ulna, dores nas costas e na cintura
      • Erros mais frequentes: Os girar ou inclinar o tronco, desalinhar os ombros e não flexionar os pulsos que se projeta para trás
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    5. Projetar o punho

      • Indicações terapêuticas: cotovelo de tenista, tenossinovite no estiloide do rádio e da ulna, (punho e dedos) e dores nos ombros e na cintura.
      • Erros mais frequentes: Aberturas das pernas muito estreita, falta de vigor ao projetar o punho e inclinar o tronco para frente.
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    6. Soltar os braços e girar a cintura

      • Indicações terapêuticas: “ombros congelados”, cotovelo de tenista e dores nos ombros e nas costas.
      • Erros mais frequentes: Os não relaxar os ombros, e os braços, impulsionar o movimento com os braços e não com a cintura, inclinar o tronco
      • Postura dos pés: largura do ombro
  • vídeo parcial e detalhes - 3ª série

    3ª série

    Exercícios para prevenção e tratamento de desordens funcionais dos órgãos internos

    1. Massagear o rosto e o ponto de sedação

      • Indicações terapêuticas: depressão, insônia, tontura, palpitação, salivação, lacrimação etc
      • Erros mais frequentes: Os não massagear os pontos em sua localização correta
      • Postura dos pés: largura do ombro
    2. Massagear o peito e abdômen

      • Indicações terapêuticas: desordens funcionais dos intestinos e do estomago, falta de apetite, diarreia crônica, dor de estomago, constipação, cólicas menstruais.
      • Erros mais frequentes: não localizar de maneira correta os pontos, não ter suficiente intenção na massagem e não sincronizar a respiração ao movimento.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Pentear o cabelo girando a cintura

      • Indicações terapêuticas: tontura, dor de cabeça, sensação de cabeça cheia, obscurecimento da visão, insônia, hipertensão arterial, fraqueza mental.
      • Erros mais frequentes: massagem sem vigor suficiente e movimento descontínuo.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Levantar a palma e o joelho oposto

      • Indicações terapêuticas: dor na musculatura da cintura e das pernas, falta de apetite, dor e sensação de inchaço na região abdominal, diarreia, debilidade do baço, estomago, má digestão.
      • Erros mais frequentes: não imprimir vigor suficiente no movimento de empurrar a palma para cima e para baixo
      • Postura dos pés: juntos
    5. Girar o tronco e inclinar para frente e para trás

      • Indicações terapêuticas: dores lombares e nas costas, fraqueza e debilidade nos rins, fadiga, tontura, obscurecimento da vista, zumbidos no ouvido
      • Erros mais frequentes: erguer os cotovelos e pender a cabeça ao flexionar a bacia
      • Postura dos pés: largura do ombro
    6. Esticar os braços levantando os calcanhares

      • Indicações terapêuticas: dispinéia, pressão no peito, bronquite, doenças no sistema respiratório e circulatório, má digestão.
      • Erros mais frequentes: abrir muito os braços, que não deve ser maior do que 35 graus.
      • Postura dos pés: largura do ombro

parte 3

I Qi Gong

Áudio para a prática

  • vídeo parcial e detalhes - I Qi Gong 1

    I Qi Gong 1

    Exercícios para tratamento de doenças respiratórias

    1. Respiração Natural

      • Indicações terapêuticas: tosse, catarro, dificuldade para respirar
      • Erros mais frequentes: respiração rápida, forçada, presa e ombros levantados.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    2. Expirar, Inspirar e Fortalecer o Qi

      • Indicações terapêuticas: tosse, catarro, peito apertado, asma e respiração difícil
      • Erros mais frequentes: ao se erguer os braços lateralmente, eles não se estendem totalmente e o peito não se expande. Ao abaixar, as palmas não descem pela frente e próximas do corpo.
      • Postura dos pés: juntos
    3. Estender as Asas e assimilar o Qi

      • Indicações terapêuticas: peito oprimido, ventre intumescido, prisão de ventre, respiração curta e digestão difícil
      • Erros mais frequentes: falta de coordenação do movimento dos braços e pés, corpo inclinado para frente, palmas frouxas, palma da mão da frente não erguida, calcanhar do pé dianteiro não levantado, baixo ventre não contraído, peito não expandido ao inspirar e movimento rápido.
      • Postura dos pés: juntos
    4. Avançar, Agachar e Eliminar o Qi Nocivo

      • Indicações terapêuticas: peito abafado, doenças respiratórias agudas, intumescimento da barriga, prisão de ventre, digestão difícil, dores nas articulações dos quatro membros.
      • Erros mais frequentes: mãos afastadas do corpo ao se erguerem; pés separados; ao se agachar o tronco curva-se para frente, o quadril fica arrebitado, os calcanhares ficam levantados; agachar-se muito ou pouco.
      • Postura dos pés: juntos
    5. Massagear o peito e ordenar o Qi

      • Indicações terapêuticas: tosse, asma, respiração acelerada, dor no peito, opressão no peito, constipação, dor no estomago e da barriga, distinção abdominal
      • Erros mais frequentes: massagear os pontos dos meridianos sem precisão, massagear a barriga e o peito de forma superficial ou com força demasiada; falta de coordenação entre movimento e respiração.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    6. Massagear a Face e Aquecer o Qi

      • Indicações terapêuticas: gripe, tosse, nariz entupido, dor de cabeça
      • Erros mais frequentes: as mãos não estão aderidas ao rosto, falta de coordenação com a respiração.
      • Postura dos pés: largura do ombro
  • vídeo parcial e detalhes - I Qi Gong 2

    I Qi Gong 2

    Exercícios para tratamento de doenças respiratórias, continuação

    1. Massagear a Garganta e Acalmar o Qi

      • Indicações terapêuticas: respiração deficiente, ansiedade asmática, tosse, gripe, faringolaringite, pescoço inchado e peito oprimido, dificuldade para engolir os alimentos.
      • Erros mais frequentes: não pressionar corretamente os pontos do pescoço e peito com os dedos e palma, não fazer a pressão adequada ao passar a mão e não coordenar respiração e movimento.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    2. Massagear a nuca e aliviar o Qi

      • Indicações terapêuticas: tosse, asma, faringolaringite, asma
      • Erros mais frequentes: inexatidão nos pontos, cabeça inclinada, dedos sem firmeza.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Percutir o Peito e Soltar o Qi

      • Indicações terapêuticas: tosse, asma, peito abafado, dor no peito, sensação de peito cheio, soluços, dificuldades para engolir os alimentos
      • Erros mais frequentes: muita ou pouca força na batida, inspirar sem contrair o baixo ventre e sem expandir o peito.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Levantar o braço e expandir o Qi

      • Indicações terapêuticas: respiração deficiente, peito oprimido, respiração apressada, bronquite, função gastrointestinal precária
      • Erros mais frequentes: erguer os ombros ao levantar os braços, abaixar as mãos longe do corpo, movimento rígido, descontínuo e falta de coordenação da respiração.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    5. Abrir o Peito e Fazer Fluir o Qi

      • Indicações terapêuticas: peito oprimido, respiração apressada, bronquite, tosse, debilidade física.
      • Erros mais frequentes: postura incorreta do arco e flecha das pernas, tronco inclinado para frente ou estendido para trás e respiração irregular
      • Postura dos pés: largura de dois ombros
    6. As Palmas fazem o Qi Circular

      • Indicações terapêuticas: doenças do sistema respiratório, debilidade física
      • Erros mais frequentes: olhos, mãos e corpo descoordenados. Movimentação rápida. Inclinar-se para frente e projetar o quadril para trás.
      • Postura dos pés: largura do ombro
  • vídeo parcial e detalhes - I Qi Gong 3

    I Qi Gong 3

    Exercícios para tratamento de doenças respiratórias, continuação

    1. Ligar o Qi Superior e Inferior

      • Indicações terapêuticas: doenças do sistema e aparelho respiratório, debilidade do corpo e dores aciduladas na região da cintura e nas articulações dos quatro membros.
      • Erros mais frequentes: Erguer e abaixar o corpo muito rápido, abertura pequena dos pés, corpo inclinado para frente, quadril projetado para trás, falta de coordenação com a respiração.
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    2. Girar a Cintura e Afrouxar o Qi

      • Indicações terapêuticas: peito oprimido, respiração apressada, dores aciduladas na região das costas e da cintura.
      • Erros mais frequentes: corpo rígido, parte superior não gira 90 graus e os braços não erguem o suficiente, corpo inclinado, ao descer os braços não flexionar os cotovelos e pulso.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    3. Inclinar para Frente e para Trás e Suprir o Qi

      • Indicações terapêuticas: debilidade do Qi dos rins, fadiga e debilidade em geral, cansaço na região lombar e pernas.
      • Erros mais frequentes: curvar as pernas ao inclinar o corpo para trás, a cabeça caída ao inclinar para trás ou para frente, braços não estendidos na lateral do corpo, ao inclinar para trás e para frente os braços não esticados e as mãos não estão cruzadas.
      • Postura dos pés: largura do ombro
    4. Alternar o Peso e Fortalecer o Qi

      • Indicações terapêuticas: doenças do sistema respiratório, debilidade física, movimentação comprometida nos membros superiores e inferiores.
      • Erros mais frequentes: aberturas dos pés pequenas, tronco torto ou inclinado, posição inexata das mãos, movimento descoordenado.
      • Postura dos pés: largura de dois ombros
    5. Fortalecer o Qi Correto

      • Indicações terapêuticas: debilidade física, doenças do sistema respiratório
      • Erros mais frequentes: abertura dos pés pequena, parte superior projetada para frente, quadril levantado ao empurrar para cima, braços não esticados, levantar os calcanhares muito rápido e movimento desequilibrado.
      • Postura dos pés: largura de um ombro e meio
    6. Levantar a Perna e Movimentar o Qi

      • Indicações terapêuticas: doenças do sistema respiratório, debilidade física, dores nos quatro membros.
      • Erros mais frequentes: movimentos não coordenados e desordenados, levantar pouco a coxa, movimento rápido e braços não esticados.
      • Postura dos pés: juntos